imagesJGMKQJER

Síndrome da Sensibilidade Química Múltipla

A sensibilidade química múltipla (SQM), também chamada de intolerância química, doença ambiental e hipersensibilidade química, é um tipo raro de alergia que manifesta-se gerando sintomas como irritação nos olhos, coriza, dificuldade respiratória e dor de cabeça, quando o indivíduo fica exposto a diversas substâncias químicas comuns do dia a dia como uma roupa nova, sensibilidade ao cheiro do shampoo ou de outros produtos cosméticos, poluição dos carros, álcool e etc. Sendo a sua principal causa a poluição interna dos edifícios.

Esta sensibilidade é agravada devido a presença constante de substâncias químicas presentes no ar vindas das tintas das paredes, móveis, produtos de limpeza utilizados e máquinas de escritórios, por exemplo, que ao entrar em contato com a luz e a umidade favorecem a proliferação dos microorganismos. Assim o sistema imune do indivíduo está sempre “alerta” e sempre que ele é exposto a outro tipo de substância química gera uma reação alérgica crônica, que muitas vezes impede o trabalho.

Sintomas da sensibilidade química múltipla

Os sintomas da sensibilidade química múltipla podem ser leves ou incapacitantes, eles incluem enjôo, dor de cabeça, coriza, olhos vermelhos, dor no couro cabeludo, dor de ouvido, sonolência, palpitações, diarreia, cólicas abdominal e dor nas articulações. Nem todos precisam estar presentes para o diagnóstico da doença.

Como identificar a sensibilidade química múltipla

Para identificar a sensibilidade química múltipla recomenda-se o exame de sangue, testes de alergia, perfil imunológico e entrevista. Saber em que o paciente trabalha, como é o  edifício e como é a sua casa é muito importante para ajudar a diagnosticar a doença.

Como tratar a sensibilidade química múltipla

Para tratar a sensibilidade química múltipla não basta somente a toma de anti histamínicos, antidepressivos e psicoterapia, é necessário remover a sua causa, mantendo os locais que frequenta sempre muito limpos e arejados, pois assim as chances de concentração de microorganismos é menor.

Uma vez que passamos em média 8 horas por noite trancados num quarto, convém que este tenha o ar mais puro possível da casa, tendo boa ventilação e um número reduzido de carpetes, cortinas e cobertores.

O uso de um purificador de ar dentro do quarto é também uma das maneiras de facilitar o trabalho do fígado, de filtrar todas as toxinas do organismo, diminuindo o risco de alergias respiratórias e as crises de sensibilidade química múltipla.

Quando o causador do problema está no ambiente de trabalho, faz-se necessário a limpeza do mesmo. Adotar um desumidificador e purificador de ar dentro da própria sala de trabalho é uma das formas de diminuir o risco da reação alérgica.

Nos casos mais graves da doença, pode ser preciso o isolamento do paciente, o que implica em grande transtorno psicológico.

Referência Bibliográfica

DAS-MUNSHI J; RUBIN GJ; WESSELY S. Multiple chemical sensitivies: a systematic review of provocxatrion studies. Acesso em Nov. 2011.